• Início
  • Recursos
  • Santidade Salesiana
  • Santos

S. João Bosco

dombosco1815 - 1888

João Bosco nasceu em Becchi, a 16 de Agosto de 1815 numa família de agricultores. Seu pai, Francisco Bosco, deixou-o órfão com apenas dois anos, e Margarida Occhiena fica só para educar António, José e João. Com firmeza delicada combinada com uma fé sem fronteiras, Margarida, educadora sábia, superou as dificuldades e fez da sua família uma igreja doméstica.

João começou a sentir desde a infância o desejo em se tornar sacerdote. Aos nove anos teve um sonho que lhe ficou profundamente gravado na mente por toda a vida, e que lhe revelou a sua missão: «Torna-te humilde, forte e robusto», disse-lhe uma senhora tão brilhante como o sol, «e aquilo que vês acontecer a estes lobos que se transformam em cordeiros, tu o farás aos meus filhos. Serei a tua mestra. A seu tempo tudo compreenderás». Os irmãos e a avó não deram importância à coisa, mas a sua mãe sentia misteriosamente a vontade do Senhor: «Quem sabe, talvez te tornes num padre».

Para se tornar sacerdote, João sabia que tinha que estudar, mas entrou em conflito com seu irmão Antonio, que queria que ele fosse trabalhar nos campos. Esteve durante quase dois anos como moço de recados, trabalhando fora de casa, na quinta Moglia. Conheceu em seguida Dom Calosso, que persuadiu António a deixar livre o seu irmão. Ao viver com esse santo sacerdote, João, pela primeira vez, experimentou a paternidade sacerdotal e pode retomar os seus estudos. Com a morte de Dom Calosso, Margarida decide dividir os bens da família, e João, de quinze anos, retoma a escola em Chieri com rapazes mais pequenos do que ele.

Em 1835 entrou para o seminário e em Junho de 1841 foi ordenado sacerdote. A 8 de Dezembro de 1841, na sacristia da Igreja de São Francisco de Assis, Dom Bosco encontra Bartolomeu Garelli, um órfão de dezasseis anos. Tudo começa com uma Ave-Maria. Depois daquele encontro reúne em torno dele os primeiros rapazes, e organiza o Oratório festivo dando origem mais tarde ao Oratório em Valdocco no qual contou com a ajuda de Margarida que deixa a sua casa e netos e aceita ir para Turim para ajudá-lo, e torna-se para os rapazes na «mama Margarida». Com o Oratório a crescer, desenvolve-se o método educativo de Dom Bosco, o famoso «sistema preventivo»: «Estai com os jovens, evitai o pecado pela razão, religião e amabilidade. Tornai-vos santos, educadores de santos. Os nossos jovens sintam que são amados».

Em 1859 nasce, com a ajuda do Papa Pio IX, uma Congregação que visa a salvação da juventude, combatendo toda a pobreza e atuando pelo lema: «Dai-me almas, e levai tudo o resto». Mais tarde nascem as primeiras casas nos arredores de Turim e continuam a chegar novas vocações.

Maria Auxiliadora, que sempre apoiou Dom Bosco, na sua obra, garantiu-lhe muitas graças, mesmo extraordinárias, e o dinheiro necessário para todos os seus projetos. A Providência juntou os caminhos de Dom Bosco e os da jovem Maria Mazzarello, que em Mornese e com a ajuda de Dom Bosco, fundou o Instituto das Filhas de Maria Auxiliadora.

Juntamente com seus benfeitores, e os leigos comprometidos Dom Bosco deu vida aos Cooperadores Salesianos, para logo fundar o Boletim Salesiano, que ainda é lido em muitas partes do mundo. Dom Bosco era um contemplativo na ação, orava constantemente e com simplicidade, enquanto estava no lazer, durante as viagens, ou enquanto fazia qualquer coisa.

Ensinou-nos a amar a Eucaristia, Maria e o Papa. Confessava centenas de jovens. Um dos seus motes favoritos era: trabalho e temperança. Escreveu milhares de cartas e publicou vários trabalhos sobre diversos temas.

Morreu a 31 de Janeiro de 1888 aos 72 anos. O Papa João Paulo II por ocasião do centenário da morte declarou-o: "Pai e Mestre da Juventude".

BEATIFICADO A 2 DE JUNHO DE 1929 POR PIO XI
CANONIZADO A 1 DE ABRIL DE 1934 POR PIO XI

 


 

Pensar como D. Bosco*

Janeiro é um mês Salesiano, o mês de D.Bosco. Podemos aproveitar esta caminhada até ao dia o dia 31, para aprender um pouco mais sobre o Pai e Mestre dos Jovens. No ano passado tivemos a alegria imensa de ter na nossa presença as Relíquias do Santo que dedicou a sua vida à juventude e todos sentimos que testemunhamos algo de muito especial. Mas o trabalho continua e D. Bosco continua a caminhar, com os teus pés.

Já muito foi dito sobre D. Bosco. Repetimos vezes sem conta as peripécias da sua vida, todos nós temos episódios preferidos, aqueles que nos dizem mais, as frases mais importantes... Mas desta vez queria fazer-te um convite. Um convite a ver a vida como D. Bosco, a experimentar a espiritualidade salesiana.

Esta pequena jornada traz junto de si muitas perguntas: como seria o mundo sem Dom Bosco? Que tipo de coisas faria e diria hoje Dom Bosco? Não tenho respostas concretas, mas deixo-te sete pistas para trazer D. Bosco, hoje, até ti.

Como o grande sonhador que foi, D. Bosco começaria de certeza por te dizer para procurares o que realmente é importante para ti, para o partilhares com os outros e assim realizares o teu sonho (1). Para concretizar os teus sonhos é essencial amares a vida e seguires o teu coração (2), ou seja, procurar estar sempre alegre, cumprir sempre o dever e ajudar os outros. E mesmo nos momentos mais difíceis, não esquecer que Deus está sempre por perto, na certeza que o céu não está longe (3) e que Maria Auxiliadora nos dá a mão a partir do momento em que entramos numa casa salesiana.

Nem sempre é fácil entender os sinais que Deus coloca na nossa vida, mas temos de nos esforçar e educar o coração para olhar para além do horizonte (4). É importante sermos fortes, seguros e de confiança (5) para que não tenhamos medo de nos gastarmos totalmente pela causa do Reino e assim inspirar outros que estão ao nosso lado.

O Paraíso é a melhor e mais relevante meta de todas e relembra-nos que devemos procurar viver reconciliados (6) porque é difícil compreender a história da nossa vida quando ela está no seu início e até mesmo no seu meio, mas no fim ao unir todos os pontos, como naqueles jogos de criança, a surpresa será feliz – a seu tempo tudo compreenderemos (7).

D. Bosco fez este caminho e percebeu, com muita humildade, que tinha tido ajudas preciosas ao longo do caminho, que Ela tinha feito tudo. E este homem mudou o mundo. Deixemo-nos mudar e inspirar por ele.

*Adaptação da Conferência do Pe. Bruno Ferrero apresentada nos Dias da Espiritualidade da Família Salesiana em Janeiro de 2012

Imprimir Email

Este website utiliza Cookies próprios e de terceiros com a finalidade de assegurar funcionalidades e para uma melhor navegação. Ao continuar a navegar, está a concordar com a utilização de Cookies e com a nossa política de privacidade. Consulte a nossa política de Privacidade